segunda-feira, julho 25, 2005

Questions & Answers?


Nos últimos dias, a blogosfera política tem estado preenchida por uma grande corrente de questões e pequenas frases, ao contrário do que é normal. Enuncio algumas que achei interessantes e dignas de reflexão:

O Voto é Secreto: Entre Cavaco e Soares, Sócrates vota em quem? (João Miranda)

Soares será o candidato da instabilidade e Cavaco da estabilidade. (Pacheco Pereira)

Soares candidato: O impensável, o incrível, o inconcebível, o fantasmagórico, o inominável, e o ridículo, aconteceu. (José Mexia)

Em 2020, Cavaco Silva terá 80 anos, uma boa idade para ser presidente, no seu caso, pela primeira vez. (João Miranda)

Adágio Político: Entre Soares e Cavaco, venha o diabo e escolha (JCS)

Caso Mário Soares ganhe as eleições, vai acumular a reforma de Presidente da República com o ordenado de Presidente da República? A lei é aparentemente omissa quanto a este ponto... (Rodrigo Adão da Fonseca)

O que era mesmo bom para Portugal, era Mário Soares a Presidente da República e Cavaco Silva Primeiro-ministro. Vamos perder mais 10 anos. Estamos quase no século de atraso. (JCS)


Em 2010, Jorge Sampaio terá 71 anos. Será demasiado cedo para se recandidatar à presidência? (João Miranda)

Caso Cavaco Silva ganhe as eleições, vai acumular as reformas de Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa e de Primeiro Ministro com o ordenado de Presidente da República? (Rui Sá)

2 comentários:

The-Brize disse...

Não te parece que esta 'coisa' de ninguém assumir-se realmente candidato é um sintoma muito 'politico' (muito português) de falta coragem, ou por outras palavras, falta de vontade de emergir do lamaçal de crónicas e artigos e comentadores que dizem sempre o mesmo (nada!)?
Não estão os nossos "candidatos a candidatos" a representar deliberadamente e alegremente o papel de bonecos politícos que fazem rir o povo?
Deviamos chamar-lhes politicos-palhaços ou seria ofender os palhaços?

Bruno Gonçalves disse...

O não assumir-se candidato e representar o papel de candidato, fornece imensas vantagens.
Têm publicidade devido ao seu "tabu", estão imunes às críticas (já que oficialmente não se candidataram) e por fim ainda podem se dar ao luxo de cometer alguns lapsos, sem serem "arrasados" por isso...